18

Somente mulher

Tu, que nasceste criança, igual a borboletas na Primavera.
Tu, que cresceste livre como os pássaros,
Tomaste banho no rio,(...)

E correste descalça pelos campos, ao sabor da brisa,
Bebendo a água que corria das fontes.
Tu, que foste saltitando os anos,
Com um brilho nos olhos,
No teu jeito de menina mulher.
Onde está a tua alegria contagiante?
A tua gargalhada cristalina,
Que ecoava pelos montes, levada pelo vento?
Quem te roubou o sorriso,
Deixando só a amargura, o sofrimento e a dor?
Cresceste.Olhas-te o mundo.
Viveste o seu lado feio,
E tornas-te-te só mulher.


18 comentários:

  1. Ana! minha linda! muito me alegra as suas palavras. Que sejas sempre abençoada com o dom da poesia!!! Não consigo copiar teu banner. também gostaria de colocá-lo lá em casa. vc pode me passar o codigo por e mail? susyramone@gmail.com
    Obrigada.
    Mil bjs!

    ResponderEliminar
  2. Lindo texto Ana! Parabéns!
    E mais lindo por que retratas a mulher em tua poesia de maneira agradável e sensível.
    Desejo um fim de semana radiante pra vc!

    Beijos!

    ResponderEliminar
  3. olá querida amiga, que sábias palavras! muito lindo o que escreveste!

    ResponderEliminar
  4. Olá minha querida amiga !!

    Desculpe a ausência nos últimos dias, mas o trabalho estava frenético !! ufaa ! mas cheguei !

    Lindo texto, me identifiquei muito com ele ! Passei por uma fase onde fui me apagando, me perdendo de quem era, já não gargalhava mais e nem tinha o mesmo brilho nos olhos... acho que como disse, a vida às vezes nos sufoca e abate, mas felizmente, nos torna mulheres, mas mesmo sendo somente mulheres, ainda somos beleza, suavidade e força !
    Estou ainda voltando a ser além de mulher, aquela que vôa com os pássaros :)

    Um beijão e bom fim de semana !

    ResponderEliminar
  5. Lindo post...sem palavras pra falar da sensibilidade nestas palavras.
    Bjos no coração e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  6. Olá, Feliz domingo pra você!
    Vim, deixar um recadinho para o teu coração.
    Procure a postagem que diz: MEU RECADINHO e leve o selinho com você.
    beijos - san

    ResponderEliminar
  7. Obrigada Sam.
    Já fui buscar o meu selinho. É lindo!
    Muito obrigada pela sua visita
    Beijo

    ResponderEliminar
  8. Obrigada Cristina. Fico contente que tenha gostado.
    Beijo grande

    ResponderEliminar
  9. Samanta amiga! Já tinha sentido a sua ausência!
    É amiga penso que nós mulheres numa certa fase da vida temos tendência para nos anularmos em prol de qualquer coisa: marido, filhos, carreira, ou muito simplesmente porque algo de ruim nos aconteceu.
    Mas portadores de garra que somos, depressa damos a volta por cima e vamos à luta!
    Beijão muito grande

    ResponderEliminar
  10. Obrigada Simone é sempre muito bom que aquilo que escrevos encontre uma boa recepção nos outros.
    Fico contente quando me dizem que gostam.
    Muito obrigada
    Beijo

    ResponderEliminar
  11. Obrigada Isa.
    Desde tempos imemoriais que os poetas tentam arranjar uma definição para nós mulheres.
    Já nos apelidaram do elo mais fraco, da força em que o homem se apoia para governar etc
    Mas no fundo nós somos: simplesmente um poema que ninguem ainda conseguiu escrever!
    Beijão

    ResponderEliminar
  12. Querida Susy já te enviei por mail o código do banner, espero que tenhas conseguido copiar
    Beijinho muito grande

    ResponderEliminar
  13. oie!!! estou te seguindo, gostaria que retribuísse o carinho!!
    Que gracinha seu blog, amei!!!
    Beijuss

    ResponderEliminar
  14. Obrigada, fico muito contente com a sua visita e com a sua gentileza.
    Pode ver que também já retribui a sua visita e estou te seguindo.
    Muito obrigada e um beijo

    ResponderEliminar
  15. Oi Ana... Lindo poema! A mulher e sua perfeita imperfeição...
    Vamos trocar banners?

    Postei o final do Conto, passa lá no meu cantinho pra conferir! Espero que goste!

    Muitos beijinhos pra vc!Bye bye
    Anita do diarios-do-anjo.blogspot.com

    ResponderEliminar
  16. Oi Anita muito obrigada pela sua visitinha.
    Já fui ver o final do seu conto e deixei comentário.
    Vamos sim, vamos trocar banners, apesar dos meus andarem meio loucos: ora dá para pegar o código, ora não dá
    Beijos

    ResponderEliminar
  17. É verdade, Ana.Enquanto crianças vemos a naturalidade e ingenuidade das coisa, como se os nossos olhos se concentrassem em tudo o que é belo e divertido, que nos alegra a alma.
    Sei que a criança percebe e muitas vezes vive o ruim, porém a sua essência é leve e boa, ao contrário do adulto, que com suas responsabilidades e preocupações diárias, acaba escondendo a criança bela que existe nele.
    Beijos!

    ResponderEliminar

Obrigada por deixar o seu comentário, pois isso só veio enriquecer este espaço