64

Prisioneira de um amor

Recostada na areia, e com os olhos semicerrados, sentindo na pele o vento inpregnado de cheiro a sal que as ondas lhe faziam chegar, Hanna deixou-se levar pelas lembranças que durante tanto tempo lutara para esquecer.(...)


O suave sussurrar das ondas batendo na areia levava-a para um outro tempo. Um tempo em que tinha sido feliz.
Dolorosamente, abriu os olhos e, soerguendo-se,olhou à sua volta. Tudo estava como dantes.
Aquela praia, a sua praia, onde tantas manhãs tinham corrido de mãos dadas com os cabelos ao vento, sentindo a sua força batendo-lhe no rosto.
Quantas noites, ali mesmo, naquele sítio, onde estava agora sentada tinham feito projectos, sonhado com um futuro cheio de promessas, tendo somente como testemunha a lua.
Perdida nas doces lembranças que o tempo não conseguiu destruir, deixou o olhar vaguear por aquele sítio que tão bem conhecia, detendo-se por momentos no alto da colina, onde, disfarçadas pelas sombras da noite que já teimavam em cair se viam as ruínas daquela que tinha sido a sua casa.
Fechando os olhos conseguia ver cada divisão, como se estivesse assistindo a um filme.
No rés do chão encontrava-se o salão, forrado de estantes até ao teto e apinhadas com livros. A um canto uma lareira acesa, onde as chamas sempre crepitando projetavam o calor e o conforto,quando nas noites de Inverno ele se sentava com o seu copo de wisque numa mão e o cachimbo na outra, e ficava olhando como que fascinado, enquanto o aroma doce do seu cachimbo espalhava ondas de perfume por toda a sala.
Continuando a seguir o trajeto das suas lembranças, viu as escadas que conduziam ao piso de cima, onde se encontrava o quarto, aquele quarto onde tinham vivido um amor intenso, torridas noites, onde os seus corpos já cansados se tinham amado como se não existisse amanhã.
Novamente no rés do chão, a cozinha, onde  vinham saciar a fome do corpo depois de terem saciado a fome da alma.
Cada pormenor, cada detalhe que lhe vinham à mente, era como alfinetes no seu coração.
Não, o tempo não tinha apagado as suas lembranças. Elas estavam demasiado vivas dentro dela, apesar de todo o tempo que tinha passado.
Por isso, quando tudo aconteceu, não teve forças para permanecer nem mais um segundo naquela casa.Ficou somente o tempo necessário para fechar as portas, e virar  costas a tudo o que tinha sido a sua felicidade, os seus sonhos não realizados, e o seu amor que tão abrutamente tinha sido interrompido.
Não naquela altura ela só conseguiu fechar as portas, virar as costas e fugir. Fugiu a uma felicidade que não teve tempo de viver.
Sentiu um estremecimento por todo o corpo, e isso fê-la voltar ao presente.
Sacudindo a cabeça, olhou à sua volta e viu que o dia estava a amanhecer.
Devagar, levantou-se, sacudiu as roupas, e com passos cansados e muito incertos devido à sua já muito avançada idade lançou um último olhar ao aglomerado de ruínas,  dirigiu-se para o carro, e depois de mais uns instantes olhando para trás o pôs a trabalhar e arrancou sem hesitar.
Não olhou uma única vez para trás . Sabia que esta era a última vez que ali tinha estado, sabia que não mais voltaria...
anacosta







64 comentários:

  1. Por vezes precisamos de encerrar um capítulo para iniciar, com a esperança de um novo amanhã.
    Está linda a história Ana
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Ana, gostei do teu conto.
    Um abraço. Tenhas um bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  3. oi amiga1 Adorei as lembranças de Hanna.
    beijos

    ResponderEliminar
  4. Quando se vira uma página já escrita, temos diante de nós ainda muitas páginas em branco, por escrever!...


    Beijos meus...
    AL

    ResponderEliminar
  5. @Luar
    Obrigada Luar e um beijo.
    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  6. @Dilmar Gomes
    Um abraço amigo e um bom fim de semana

    ResponderEliminar
  7. Linda tarde minha querida amiga !
    Lindo texto na sua razão da escrita...que nos instiga a ler até o final...aplausos ...
    bjssssssssssss

    ResponderEliminar
  8. @A.S.
    Só que muitas vezes já não há pachorra!!!
    Beijo e bom fim de semana

    ResponderEliminar
  9. Ana que lindo conto,gostoso de ler...
    Bom fim de semana beijos

    ResponderEliminar
  10. Vim, agradecer a sua presença no aniversário do Toque e também o grande carinho que voce me fez sentir, através de suas doces palavras .
    Seu dia já passou mas mesmo assim quero desejar muitas felicidades e te oferecer um cartão.

    san

    ResponderEliminar
  11. Páginas viradas são a abertura de outras, muito melhores de se escrever. Bom fds, beijo grande, minha querida.

    ResponderEliminar
  12. ♡°
    º✿
    º° ✿✿♡°
    Olá, amiga!
    Gostei da história.
    Bom fim de semana.
    Beijinhos.
    Brasil
    º✿
    º° ✿✿♡°

    ResponderEliminar
  13. Adorei a sua história. Há lembranças que ficam guardadas para sempre no nosso coração, mas não se pode viver no passado, há que seguir em frente.
    Bom fim de semana
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
  14. Olá minha querida amiga :)

    Depois de uma nova ausência, infelizmente por motivos tristes, cá estou eu de volta, aos pouquinhos para estar na presença dos amigos que aprecio e que me fazem tão bem, assim como você :)

    Lindo texto, acredito que todos nós temos lembranças que nos doem, algumas por não terem completado seu ciclo devido ás circunstâncias da vida, outras por motivos diversos, mas mesmo assim, mesmo com o passar dos anos, continuam vivas e claras em nossa mente e coração.
    Mesmo que doloridas, são parte do que somos, da nossa história e é com esta bagagem que avançamos, seguimos em frente, muitas vezes mais fortes.
    Adorei, como sempre ;)

    Um beijo e que seu fim de semana seja de alegria e paz ;)

    ResponderEliminar
  15. SEi como é...sei como agente se sente quando o passado levou grande parte de nós...e o "voltar as costas" com a certeza de não mais ali voltar...dói, caramba...se dói!!!

    Te abraço

    ResponderEliminar
  16. Um conto muito bonito. Às vezes as nossas lembranças se postas no papel, são verdadeiras jóias de literatura. Muito bem escrito. Parabéns.
    Um abraço e bom Domingo

    ResponderEliminar
  17. Olá Ana. Boa tarde! Lindo texto amiga. Se encerra uma página e seguimos, pois hávera novo amanhã. Bjos e todo carinho pra vc. Linda canção!

    ResponderEliminar
  18. Minha querida

    Ficará sempre uma página em branco no livro da vida, para escrever o final.
    Linda e cheia de emoção esta história que é vida.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

    ResponderEliminar
  19. QUERIDA HANA ADOREI SUA VISITA VIMM RETRIBUIR E AMEI CONHECER E LER SEUS POEMAS LINDOS VIM DIZER SEJA SEMPRE MUITO BEM VINDA AO MEU CANTINHO
    RECEBA MEU ABRAÇO COM CARINHO MARLENE

    ResponderEliminar
  20. @Maria selma
    Fico muito contente que tenha gostado Maria, um beijo

    ResponderEliminar
  21. @Ao toque do Amor
    Mais uma vez obrigada Sam pelo seu carinho.
    Um beijo

    ResponderEliminar
  22. @Milla Pereira
    É verdade Milla e ao longo dos tempos por cada dia vivido é uma página que temos que ir virando.
    Um beijo amiga

    ResponderEliminar
  23. @Magia da Inês
    Obrigada Inês, qualquer um de nós fica muito feliz quando recebe um elogio ao seu trabalho.
    Um beijo

    ResponderEliminar
  24. @Maria
    Tem razão Maria, o passado é pra ficar lá mesmo, num cantinho bem guardado.
    Um beijo

    ResponderEliminar
  25. Fiquei feliz com a sua visita e por seguir-me,. Também vou segui-la, pois gostei muito desse seu espaço.

    Um poesia de muita saudade, mas de uma ternura imensa. A vida continua...

    ResponderEliminar
  26. @Samanta Sammy
    Sammy, minha amiga que grande alegria finalmente voltar a ter os seus comentários!
    As suas palavras encerram tudo o que de verdade pode haver sobre este tema.
    Duma maneira ou de outra, temos que nos habituar a viver com elas, pois fazem parte da nossa vida, e uma vida não se apaga.
    Muitos jinhos amiga e seja de novo bem vinda ao grupo!

    ResponderEliminar
  27. @BlueShell
    Dói, não dói BlueShell?
    Felizmente o ser humano tem a capacidade de aguentar isso e muito mais...
    Um beijo

    ResponderEliminar
  28. @elvira carvalho
    Agradeço muito as suas palavras Elvira, elas são o estímulo que precisamos para continuar.
    Um beijo

    ResponderEliminar
  29. @Cidinha
    É verdade Cidinha, vivemos um dia após o outro...
    Um beijo

    ResponderEliminar
  30. @Sonhadora
    oi Sonhadora, como dizem que somos nós que reescrevemos a nossa vida, a página em branco será sempre a esperança que possamos por-lhe um final feliz...
    Um beijo

    ResponderEliminar
  31. @Marlene
    Oi Marlene, visitá-la é sempre um grande prazer.
    Um beijo

    ResponderEliminar
  32. Oi Ana, muito bem escrito teu conto e a Hanna tomou uma decisão acertada, deixar o passado pra trás.
    Se abrir para uma nova vida, deixar o coração se libertar pode trazer muitas surpresas agradáveis.
    Beijos e uma semana abençoada pra ti!

    ResponderEliminar
  33. Oi Ana,
    delícia ler você...
    Ótima semana para todos nós!

    ResponderEliminar
  34. Oi Ana!
    Vim retribuir sua simpática visita ao meu blog.
    Adorei seu conto cheio de verdades. O passado ou que tenha sido bom ou dolorido deve ficar lá no seu lugar, dando espaço para o novo, para o renascer. Lindo conto!
    Beijos e uma ótima semana!

    ResponderEliminar
  35. Oi Ana... Ler o que você escreve é um convite a inspiração!
    Além de estar aqui e apreciar e vim também agradecer a sua passagem em meu blog no meu aniversário... Muito obrigada!
    Aproveito para informar que devido a problemas pessoais estarei ausente por alguns dias, mas assim que tudo estiver melhor eu voltarei e entrarei em contato com todos os amigos que sigo nessa Blogosfera!
    Um abraço carinhoso e até breve Ana!

    ResponderEliminar
  36. Que lindo! Fui caminhando nas lembranças dela, à medida que lia seu texto. Você colocou tamanha sensibilidade que até a dor ficou visível. Dar adeus ao passado não é fácil, porque as lembranças não se prendem a um lugar determinado. Acredito que, para esquecer, primeiro temos que esgotar o sofrer (sem exageros).

    Bjs.

    ResponderEliminar
  37. Adorei a tua prosa Ana! Por outras palavras somos o reflexo daquilo que amamos ou que amámos. Buscamos sensações que nascem ou nasceram de desejos fiéis. Assaltados por estes sentimentos de reconhecimento e aceitação ou não, procuramos saciar a “fome da alma”. Como me revejo nesta “deformação humana”. Alguns de nós procura a ilusão como forma de colmatar. Pessoalmente prefiro a solitude voluntaria. Um beijinho António

    ResponderEliminar
  38. @.
    António amigo! Tás com a gente!...
    Fico feliz por apesar de ausente estares presente...
    Fico muito contente com as tuas palavras sobre o post.
    Beijo amigo

    ResponderEliminar
  39. @MARILENE
    Obrigada Marilene pelas suas sábias palavras.
    O passado nunca se esquece, ele fica apenas adormecido...
    Beijo amiga

    ResponderEliminar
  40. @Tatiana Moreira
    Obrigada Tatiana, espero que a sua demora seja muito breve.
    Volte rápido para junto de nós
    Um beijo

    ResponderEliminar
  41. @Valéria
    Obrigada Valéria fico contente que tenha gostado. Espero que continue por aqui.
    Um beijo

    ResponderEliminar
  42. @Will
    Obrigada Will é sempre um prazer receber a visita dos amigos. Fico contente que tenha vindo...
    Um abraço

    ResponderEliminar
  43. @♫*Isa Mar
    Olá Isa bonitas as suas palavras.
    Elas enchem o coração...
    Um beijo amiga

    ResponderEliminar
  44. Ana, mesmo muito poetio o conto. Adorei! A vida tem destas coisas, saber quando é tempo de partir e deixar o passado no seu lugar, nas lembranças unicas e belas (as vezes) de uma vida, muito bem escrito e com uma cadencia suave e melancolica que encanta.

    Beijo de luar

    ResponderEliminar
  45. MUITO BONITO... AMEI!!!
    BEIJOS E FIQUE COM DEUS!

    ResponderEliminar
  46. Somos...

    Saudades reprimidas,
    Desejos contidos,
    Silêncios gritando de dores,
    Céus,
    Infernos.

    Somos...

    O motivo de alegria,
    O motivo de tristeza,
    Fragilidade,
    Mentiras,
    Verdades,

    Somos...

    Acima de tudo aquela enorme vontade de viver um grande amor como todos já sonharam um dia.

    ResponderEliminar
  47. Olhe, Estimada e Simpática Amiga:
    Fiquei completamente siderado por tanta beleza, ternura e encanto do seu blogue.
    Os meus sinceros parabéns. Fascina tudo aqui.
    Fico-lhe grato pelo seu gesto lindo.
    Beijinhos cristalinos de pureza amiga.
    Com respeito imenso pelo seu grandioso fascínio.
    Sempre a admirá-la

    pena

    Excelente!
    Um notável blogue de sonhos mil.
    É fantástica, pura e linda.
    Honra-me, a sua preciosa amizade.
    Bem-Haja, amiga.

    ResponderEliminar
  48. Olá Ana, desejo que tudo esteja bem contigo!

    Por vezes também pode acontecer de que ao virarmos a página imaginar que terminou, e mais a frente somos obrigado a retornar aquela página novamente para entender um capítulo ocorrido muito depois. Assim é a vida, a cada parágrafo uma lembrança, e cada lembrança tem o seu motivo, e o momento para ser lembrada.
    Afinal sabemos que nada é para sempre, ainda mais uma página virada!
    Belíssimo texto, envolvente tão ao ponto de o leitor querer continuar até o desfecho. Também pudera, escrito com esta tua sensibilidade, desta maneira tão impregnada de sentimentos, é impossível não se deixar envolver pelo teu belo escrito, parabéns. E outro ponto que gosto muito por cá é as imagens que posta encimando os teus escritos, são sempre belíssimas imagens, escolhas deveras belas, diria eu, perfeitas, ainda mais por serem elas em grande parte em branco e preto, parabéns pelo belo espaço. E eu agradecido por tuas gentis visitas e comentários por lá deixo por cá sempre meu desejo que você e todos ao teu redor tenham um intenso e feliz viver, enorme abraço e até mais!

    ResponderEliminar
  49. Oi Ana...que lindo! Fico aqui pensando na personagem e tenho certeza que tem um pouco dela em cada uma de nós...mulheres e decididas pela vida! Fechamos "as gavetas" do que passou, retiramos o que de bom ficou e abrimos a porta aos sonhos que já se aproximam...mais uma história! Lembrei muito de cenas vividas...saudade sim...mas certa de que foi melhor assim... Um grande abraço e aplausosssss!

    ResponderEliminar
  50. Bem, amiga!

    Fica para a próxima!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  51. Ana, bom dia!!!
    Olha eu por aqui!
    Ana, ainda estou de "retiro ", preciso um pouquinho mais de tempo, para por em dia minhas prioridades. Logo estarei com o "barraco"aberto!

    Entro aqui rapidinho para dar uma olhadinha, e em especial agradecer-te
    por sua amizade e fiel presença lá na minha página.

    Ana, que texto, que lembranças...
    Acredito que um escritor (a) realmente tem que possuir uma grande doze de talento para expressar um relato com tanta fidelidade, seja este relato uma verdade ou uma pura fantasia. Ana, que lindo este seu conto!
    Confesso-te que no meio da leitura me deixei ir, viajei nas lembranças de Hanna, vi aquela praia, senti o calor da lareira a qual esquentava aquelas noites de inverno, senti o odor do cachimbo e provei do seu Wisque. Perdida em seu belo texto e nas lembranças (que já não eram de Hanna, mais sim, minhas) cheguei a ver o rosto dele, enquanto em gestos másculos segurava o copo de wisque e me dirigia um sorriso...

    Lindo texto, para ler, sentir, se envolver, encher-se de nostalgia e finalmente guardar na lembrança
    Aplausos!
    Um lindo dia para você Ana!
    Volto logo! Lembranças.
    Ange.

    ResponderEliminar
  52. o mar sempre foi meu conselheiro, sempre me acalmou em horas dificeis, sinto falta de vê-lo...

    ResponderEliminar
  53. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Nayara e cheguei até vc através do Blog Recomeçar. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir um blog do meu amigo Fabrício, que eu acho super interessante, a Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. A Narroterapia está se aprimorando, e com os comentários sinceros podemos nos nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs





    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.



    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  54. Muy bonitas tus letras, es un placer leerte.
    que tengas una feliz semana.
    un abrazo.

    ResponderEliminar
  55. Querida vim agradecer e retribuir tua visita no meu Blog e conhecer o teu.Já me instalei.Vim, gostei e voltarei sempre.Adorei o texto.A dor vai passar, mas as boas lembranças ficarão.
    Tenhas dias ensolarados e felizes.Bjs Eloah

    ResponderEliminar
  56. Amiga, venho sua visita agradecer
    Também, no Alentejo nascida
    Ana, gostei de seu comentário ler
    É verdade, por mim, foi bem recebida
    Pode ficar o tempo que desejar
    Sua presença, aqui fazia falta
    Voltando do Alentejo falar
    Quando para aquela imagem olhei
    Prisioneira de um amor, faz lembrar
    Costa Vicentina, Alentejo litoral
    Com suas praias para nelas se banhar
    Noutros tempos, lá, não os esquecerei
    No Alentejo se vivia muito mal.

    Do seu lindo conto gostei
    Lembranças do passado
    Para o seu retrato olhei
    Pela sua presença obrigado.

    Você estou seguindo
    Assim penso continuar
    Digo a verdade não minto
    Meu abraço lhe estou a enviar.

    Eduardo.

    ResponderEliminar
  57. ♥*♥*lembrei de você e senti
    *♥*♥*uma vontade imensa de
    *♥*♥*poder te dar um abraço.
    *♥*♥*Onde você estiver sinta
    *♥*♥*o meu carinho.
    *♥*♥*beijos querida Ana Costa
    *♥* :¸.•*¨).:“ *♥*´“:¸.•*

    ResponderEliminar
  58. Minha querida, tens um livro que mal começaste a escrever. Nele vais preencher muitas páginas com o sabor da felicidade. Tens que aprender uma coisa...tens que virar a página a esse livro sem sequer olhar para trás. Virei muitas páginas de angustia, de decepção, mas a vida continua na mesma. Hoje, penso muitas vezes, que não as virava da mesma maneira. Coragem minha querida levanta a cabeça, respira fundo e repete para ti...EU VOU CONSEGUIR. Beijos com o meu carinho sempre.

    ResponderEliminar
  59. @rosa-branca
    Minha querida rosa-branca, infelizmente no meu livro já só falta escrever a conclusão...
    Mas as suas palavras são lindas e cheias de carinho e esperança!
    Beijo grande amiga

    ResponderEliminar
  60. @Simone butterfly
    Que booom Simone recebi seu carinho e os seus beijinhosss.
    Um beijo grande também para você

    ResponderEliminar
  61. Boa noite, Ana. Obrigada pela visita ao meu mais novo blog, adorei! Vc já pode voltar ao Páginas de Poesia, está td normalizado por lá, sem ameaça de vírus, ok? Bom findi, beijo grande

    ResponderEliminar
  62. El amor es lo mejor que nos puede ocurrir a los seres humanos.

    ResponderEliminar

Obrigada por deixar o seu comentário, pois isso só veio enriquecer este espaço